A Cidade


Aniversário de LEM

Data comemorativa de emancipação política de Luís Eduardo Magalhães
Leia mais

1ª Agrishow

Início da primeira edição da Agrishow, que anos depois passou a ser chamada de Bahia Farm Show
Leia mais

Bahia Farm Show

Primeira edição da Feira sob o nome Bahia Farm Show
Leia mais

Policlínica Municipal

Inauguração da Policlínica Municipal
Leia mais

Centro Administrativo

Inauguração do Centro Administrativo
Leia mais

Guarda Municipal

Inauguração da base da Guarda Municipal
Leia mais

Ginásio José Alberto Lauck

Inauguração do Ginásio de Esportes José Alberto Lauck
Leia mais

Praça Matriz e Praça de Alimentação

Inauguração das Praças Sérgio Alvim Motta e Praça de Alimentação
Leia mais

CAPS I Gislaine Gado

Inauguração do CAPS I Gislaine Gado
Leia mais

Praça Elenir da Silva Vargas

Inauguração da Praça Elenir da Silva Vargas no bairro Jardim das Acácias
Leia mais

Inauguração da UPA 24h

Inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h)
Leia mais

Inauguração Praça da Acessibilidade

Praça da Acessibilidade Hugo Nicolau Walker
Leia mais

Energia e Iluminação Pública Loteamento Conquista

Entrega da rede de energia e iluminação pública do loteamento Conquista
Leia mais

Inauguração do ESF Vereda Tropical

Inauguração da unidade Estratégia Saúde da Família (ESF) Vereda Tropical
Leia mais

Inauguração da Escola Modelo Dom Ricardo Weberberger

Inauguração da Escola Modelo Dom Ricardo Weberberger
Leia mais

Inauguração do Ponto Cidadão

Inauguração do Ponto Cidadão
Leia mais

Inauguração da Escola Municipal Marlei Terezinha Pretto e Creche Jardim das Oliveiras

Leia mais

Inauguração da Praça do M3

Leia mais

Reinauguração do Hospital e Maternidade Gileno de Sá

Leia mais

Inauguração do Balneário Rio de Pedras

Leia mais

Início da sinalização semafórica em Luís Eduardo Magalhães

Leia mais

Inauguração do RETRAN

Leia mais

Inauguração do Estádio Municipal Coronel Aroldo

Leia mais

Inauguração do novo sistema de iluminação das Avenidas JK, Kichiro Murata, Salvador, ACM e Tancredo Neves

Leia mais

Inauguração da Casa de Passagem José Vicente

Leia mais

1ª edição da Feira de Negócios e Entretenimento de Luís Eduardo Magalhães (FELEM)

Leia mais

Inauguração da ESF Egon Riffel

Leia mais

Inauguração do PROCON

Leia mais

Inauguração do CEMEI Patrícia Oshiro Brentan

Leia mais

Inauguração do CEMEI Maurílio Comparin

Leia mais

Inauguração das novas instalações do CEMEI Menino Jesus

Leia mais

Inauguração das novas instalações do CEMEI Pequeno Príncipe

Leia mais

Inauguração do CEMEI Vitória Fontana

Leia mais

Inauguração da Praça da Bíblia

Leia mais

Inauguração do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEUs) Patrícia Regina Lauck de Souza;

Leia mais

Inauguração do Centro de Triagem da Coleta Seletiva Solidária

Leia mais

Inauguração da ESF Paulo Rodolfo Castelli

Leia mais

Inauguração da ESF Nair Idite Poganski

Leia mais

Inauguração da Casa de Armazenamento de Sementes

Leia mais

Entrega das 900 unidades habitacionais do Residencial Sol do Cerrado

Leia mais

Inauguração da Academia da Saúde

Leia mais

Inauguração do CEMEI Cleusa Santos Silva e Silva

Leia mais

Inauguração das novas instalações da Escola Municipal Edaléio Barbosa de Souza

Leia mais

O município de Luís Eduardo Magalhães era antes um pequeno povoado denominado Mimoso do Oeste, que passou em de a ser distrito de. Através da Lei n° 395/1997, em de, passou a denominação atual, para após referendo, decorrente de um projeto elaborado pela então deputada estadual Jusmari de Oliveira, transformar-se no município, cujo nome remete ao falecido deputado, filho do Senador Antônio Carlos Magalhães, em 30 de marçode 2000, pela Lei 7619/00. A criação do município foi alvo de muitas críticas, como a que afirmava ser a lei 7619/00 inconstitucional, sendo também o referendo que autorizou a criação do município, tendencioso e, já que não foram consultadas todos os moradores envolvidos. Em 2007 o declarou a inconstitucionalidade da criação do município, dando ao legislador federal prazo de 2 anos para legalizar a situação. Mediante Emenda constitucional o congresso avalizou a criação do município.

Economia

Possui a décima maior economia do estado da Bahia, sua região é responsável por sessenta por cento da produção de grãos do estado, sua renda per capita é uma das maiores do Brasil. O parque industrial é composto por empresas líderes em seus segmentos, inclusive quase vinte multinacionais. Entre as empresas pioneiras que se instalaram no município, temos a Cooperativa Agrícola de Cotia, a Ceval, indústria de esmagamento de soja, mais tarde incorporada pela Bünge Alimentos e também a Cooperativa do Oeste de Minas Gerais. Sua agricultura é pujante, diversificada e de grande produtividade, possuindo grandes áreas irrigadas. Sua pecuária é de alta qualidade tanto na área genética como tecnológica. No ano de 2007, entrou em funcionamento um grande e moderno frigorífico de aves e a fábrica de ração para sustentar os produtores integrados de mais de um milhão de aves por mês.

O município é um dos cinco do Brasil que sediam um dos maiores eventos de equipamentos de alta tecnologia destinados ao agronegócio, a Agrishow.Atualmente sedia o Bahia Farm Show, que teve a sua primeira edição na cidade de Ribeirão Preto, e conta entre outras com a de Rondonópolis (MT) e Cascavel (PR). Sua rede de hotéis é diversificada e suficiente, indo dos mais simples até o de categoria internacional. Seu comércio é suficiente para atender toda a demanda de seus habitantes, tanto na área de alimentos como produtos e implementos agropecuários e construção civil, mas como toda cidade em grande desenvolvimento, Luís Eduardo tem muitos problemas de infra-estrutura, como: tratamento de esgoto, galeria de águas pluviais, pavimentação asfáltica e habitação para famílias de baixa renda, problemas que têm sido pouco atacados pela prefeitura e governo federal e que demanda ainda muito investimento dos governos. Na área da saúde e educação a prefeitura tem feito um grande esforço o que tem tornado esses serviços aceitáveis. Na área habitacional de médio e alto padrão, a cidade conta com grandes investimentos, tanto na construção de edifícios residencias de seis, oito, dez ou mais andares (mais de quinze em construção), bem como em condomínios horizontais de altíssimo padrão, inclusive com campo de golfe e pista de pouso para aeronaves de seus moradores.

História

Em 1974 chega a região os baianos Enedino Alves da Paixão (Negão) e sua esposa Maria Firmino de Jesus, com seus oito filhos. Instalaram-se no entroncamento das BRs 242 e 020, construindo uma pensão que alojava os caminhoneiros que transitavam pelas BRs.

Em 2 de abril de 1982, dando inicio ao projeto de colonização que tinha em mente,depois de já ter sondado a região junto com seu filho mais velho; Sr. Hipólito Cardoso Ferreira, o pecuarista e empresário goiano Arnaldo Horácio Ferreira adquire uma área de terra equivalente a 182.000 ha (que aos poucos a maior parte foi vendida para agricultores que chegavam do sul do país) e estabelece o posto de combustíveis acima citado com o nome de Posto Mimoso, que pela sua localização se transformou em recordista mundial na venda de combustíveis, inclusive sendo citado no Guinness Book. Em 1984, estabelece a Colonizadora e Administradora Vale do Rio Grande, CARIG, e funda o povoado de Mimoso que em 1986, também mais ou menos nesse ano nasce um grupo de empresas denominado de GRUPO MIMOSO, nos ramos de hotelaria, transportes, alimentícios, combustíveis (Ferreira diesel -tr e posto 90 [este último servindo de terminal rodoviário da cidade inclusive até os dias atuais]) e agropecuária(fazenda Grécia e fazenda Mimoso) também de propriedade do fundador, passou a se denominar Mimoso do Oeste, e em 1989 é elevado à condição de distrito. No início dos anos 80, aportaram-se na região pecuaristas e agricultores oriundos do sul do país em busca de melhores condições de vida,e atraídos pelas características da topografia, a grande abundância de água e sua altitude, que a caracterizava como uma possível nova fronteira agrícola. Dentre estes agricultores e pioneiros, encontravam-se os senhores Adelchi Pereira Ramos, que chegou contratado para trabalhar no Posto Mimoso em 1981, em 1984 Jacob Lauck, agricultor e piloto e Amélio Gatto ambos gaúchos. Também em 1984 chegaram, Luís Hashimoto, agricultor, Eduardo Massao Yamashita, engenheiro agrônomo do Paraná, e o gaúcho Constantino Catarino de Souza, este até então radicado em Pérola, cidade paranaense, que em busca de expandir sua capacidade de produção agrícola e pecuária, adquiriu uma grande área de terra, onde iniciou a produção de grãos e a criação de gado. Ottomar Schwengber, agricultor gaúcho, viu na cidade a possibilidade de prosperar, comprando grande quantidades de terras, que após sua morte em 1992, foi dividida entre seus filhos que estavam na Bahia (Alguns ficaram no sul), foi a família Schwengber que fundou o primeiro CTG (Centro de Tradições Gaúchas) da cidade, devido o pioneirismo dos Schwengber, foi fundada uma escola municipal com o nome de Ottomar, a escola Ottomar Schwengber.

Siegfried Janzen, conhecido como Toni, de Dianópolis, TO, fundou a primeira Associação de Moradores de Mimoso do Oeste. O evento foi comemorado, com torneio de futebol e a assinatura de uma declaração. Chegando também a promissora região o pedreiro Aparecido Cirilo e sua esposa Amélia Pontes Costa Cirilo (Amelinha) e família, sendo ela uma das primeiras enfermeira da região salvando vidas de pessoas.

Luís Eduardo Magalhães “Capital do agronegócio”

125px-Bandeira-luiseduardomagalhaes

Fundação: 30 de março de 2000
Gentílico: luís-eduardense
Prefeito(a): Humberto Santa Cruz (PP) – (2013–2016)

Características geográficas

Área: 4 018,778 km² (BR: 369º)[3]
População: 60 179 hab. IBGE/2010[4]
Densidade: 14,97 hab./km²
Altitude: 720m
Clima: Tropical semi-úmido média anual 22 graus Aw
Fuso horário: UTC−3

Indicadores

mapa

IDH: 0,741 médio 2000
PIB: R$ 1 538 971,842 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita: R$ 31 422,34 IBGE/2008[5]